Você Sabe Dizer “NÃO”?

POR QUE É TÃO DIFÍCIL FALAR “NÃO”?

A mente humana, em sua essência, evita utilizar negações ao máximo. Talvez seja proveniente da educação dada na nossa infância pelos nossos pais, ou é a nossa natureza mesmo. Não quero me aprofundar nesse mérito agora. Somos muito movidos pela emoção, e até por isso nos sentimos culpados em “negar” alguém ou algo. Mas por que não ser mais direto?

Um exemplo bem bobinho que aconteceu comigo: em uma empresa que não vou citar o nome, eu estava em fase final de entrevista de emprego com outra pessoa, no começo do ano passado. Não fui escolhido (entendo porque meu concorrente era bem capacitado), até aí tudo bem… Mas eles nunca me mandaram sequer um e-mail falando que escolheram o outro, que me negaram. Que o gestor me falou não.

Isso me incomodou bastante. Pensei bastante a respeito, e cheguei em uma conclusão: às vezes, o “não” pode ser libertador! Seja direto – porque criar alguma falsa esperança pode ser uma das piores coisas que você pode fazer para outra pessoa! Pode ser trágico e tomar proporções inimagináveis!  Não quer “sair” com alguém ? É melhor dizer um “não” e “matar” o assunto de uma só vez do que começar a “enrolar”. Entende? Poupa-se a energia de ambos no caso. Esse “joguinho de sentimentos” que o ser humano faz, se formos analisar, é algo bem desgastante. Engloba questões como o ego e o orgulho.  Não se preocupe jamais em “fechar as portas“, já que:

Dizer “não” pode ser até algo momentâneo. Tudo é suscetível a mudança, inclusive o ser humano. Se tiver que acontecer, acontecerá. Tudo tem um basta, e as oportunidades que valem a pena mesmo na vida são raras. Pode até ocorrer da pessoa futuramente te dar o devido valor que você merece com a sua “negação”, sua sinceridade… ou até surgir um novo sujeito na sua frase! A vida é um eterno perde e ganha. Pense nisso.

Essa pequena (e complexa) palavra pode salvar seu precioso tempo. É a sua vida que está em jogo! Eu sei que o ser humano de um modo geral repudia dizer “não“, mesmo sabendo que é necessário na maioria dos casos, porque talvez tem medo de não ter outra chance parecida ou gerar algum conflito, mas principalmente tem receio de magoar o próximo. Isso é uma grande besteira! Quem disse que você tem que agradar a todos? Onde está escrito isso? A única pessoa que manda na sua vida é a que está lendo isso agora! Para citar Nelson Mandela:

Eu sou o mestre do meu destino. Sou o capitão da minha alma.

Já pesquisei muito a respeito de se tornar uma pessoa melhor e evoluída… O ato de saber dizer “não” quando necessário estava presente em quase todos os textos que li!

É muito melhor dizer um “não” sincero do que um falso sim, ou até mesmo um duvidoso “talvez”. Dignidade, caráter e a verdade fazem parte de nossa formação moral e devem caminhar lado a lado. E se você, depois do que escrevi aqui, ainda está receoso com a “opinião alheia”, lembre-se: no começo a pessoa pode até ficar “revoltada”, mas no futuro esse sentimento passa e ela certamente te entenderá, especialmente se ela gostar de você de verdade. Dizer “não” também pode ser encarado como um ato de amor e de compreensão ao próximo. Talvez seja “duro” no começo, mas o tempo cura tudo (se quiser saber o que acho sobre esse tema clique aqui). Ninguém, exceto Deus, sabe do seu futuro – tem muita coisa pra “rolar” ainda, e vai que essa “negação” seja o que está faltando pra sua evolução!

PRATIQUE DIZER NÃO! Você verá que não vai perder as pessoas ao fazer isso. Pelo contrário, vai ganhar mais uma pessoa na sua vida: você mesmo! – Patricia Gebrim

Aprender a lidar com as negações mais diretamente, por assim dizer, te ajuda até no fato de aceitar as suas limitações. E, como escrevi aqui, a aceitação é a fase primordial e necessária quando temos algum revés, para se alcançar a superação dos seus problemas, não importa o tamanho deles. Digo isso porque lido com essa questão quase todos os dias (leia sobre a minha história aqui).

Diga “não” quando você quer dizer “não“. Esse pode ser o maior economizador de tempo da sua vida. – Linda Lore

Sim Senhor: comédia estrelada por Jim Carey que aborda esse tema (com certo exagero, claro).

COMPARTILHAR

Não tem Facebook ou prefere o anonimato?