Destino

POR QUE ACONTECEU LOGO COMIGO?

Essa é uma pergunta milenar. Uns acreditam em destino, outros não – dizem que somos os próprios “chefes” da nossa história. Diversas religiões e filosofias tem a sua maneira de refletir sobre esse assunto, e portanto é preciso respeitar a opinião de todos. A verdade é que a ideia de existir a tal “fatalidade” provoca um profundo aborrecimento no ser humano, pois somos de natureza controladora, ou seja, gostamos de estar no poder.

Com base no que estudei até aqui e nas minhas crenças, acredito que todos temos provas – ou missões na Terra (uns com fardos maiores e outros nem tanto) que foram previamente escolhidas por nós mesmos antes de vir para cá, mas não recordamos de nada.

Citando Hammad, esse tal “esquecimento” deve ser visto como uma benção para evitar o nosso comodismo ou até reascender dos velhos sentimentos de culpas ou ranços que dificultam o desenvolvimento da nossa capacidade de amar. 

Percebe a ironia? O que achamos que é fatídico, ou coisas do destino, em acontecimentos maiores, como desde conhecer a pessoa da sua vida, sofrer um acidente de carro grave em que a pessoa perde os movimentos ou até no meu caso mesmo (doença genética), fomos nós mesmos que escolhemos – amparados por Deus, claro, afim de nos evoluirmos! E se você tem alguma missão “dura”, é porque você “aguenta a porrada”, por assim dizer.

Focando mais no tema principal deste blog (ajudar pessoas com alguma limitação), é lógico que existem casos e mais casos, como por exemplo, pessoas com diferentes níveis de recursos (nem tanto financeiros, mas principalmente os laços familiares e amigáveis), e sendo assim, não se pode julgar ninguém por suas escolhas, mas me entristece muito o fato de pessoas “desistirem” de algo tão divino e precioso como a vida, se afogarem em mágoas ou até mesmo tentarem cometer o suicídio. Acredito que, antes de vir para a Terra, você “conversou” com Deus e falou que era capaz de vencer, e ele te deu uma prova difícil para te evoluir cada vez mais até chegar um momento em que você não precise mais de uma vida carnal, falando a grosso modo. Por isso lembre-se:

tudo (nesse contexto “macro”) é predeterminado. 

Não desista jamais, e certamete será enaltecido no futuro. Você, lá atrás, que “pediu” pelo o que está acontecendo agora, para evoluir. E para que ocorra tal evolução, é imprescindível se manter forte.

Eu sei que essa ideia é difícil de ser aceita, que às vezes dá vontade de “xingar Deus”, se revoltar, entrar em depressão… Acredite, já passei por isso (leia minha história de vida aqui).

Creio que os mais fortes espiritualmente passam por provas – ou missões – cada vez mais difíceis. Aquela velha frase brasileira (que você com certeza já ouviu) é o que define melhor o que eu quero dizer:

“Deus dá o frio, conforme o cobertor!”

“É exatamente disso que a vida é feita: de momentos! Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, para o nosso próprio aprendizado, por algum motivo. Nunca esquecendo do mais importante: nada na vida é por acaso.” – Chico Xavier

Não viva de passado. Não formule frases questionando e utilizando a palavra “se” ao remeter lembranças passadas. A vida é aqui e agora. Penso que procurar sempre evoluir, agarrar as novas oportunidades que certamente virão, buscar a paz de espírito e o conhecimento, crescer como pessoa e fazer as escolhas “saudáveis” faz parte do nosso “livre arbítrio“. Viver e aproveitar a vida. Isso é a gente que “comanda”. Em breve escreverei um texto sobre o que penso do nosso livre arbítrio, mas como gosto de exemplificar meus textos , vou viajar um pouquinho na maionese:

Pense em você como um morador de um prédio que precisa mobiliar seu apartamento. O interior, as decorações, os enfeites… você pode mudar e fazer tudo ficar confortável e maravilhoso. Pense nisso como o livre arbítrio. Mas você não pode retirar certas paredes, vigas de sustentação que fazem parte da estrutura do prédio ou eventualmente mudar a posição de uma janela ou sacada. Para mim, isso é o destino. Imutável.

Que fique claro que essa é apenas minha opinião sobre a vida. Se você discorda, aprenda a respeitar os pensamentos do próximo.

A vida não termina com a doença, não importa qual seja. Um novo caminho é o que se inicia. Uma nova jornada. A vida é espetacular e a própria morte está muito longe do conceito que guardamos dela até hoje. – André Venturini (retirado do post “A doença vista com outros olhos“)

Você mesmo que escolheu as suas provas lá atrás!

Compartilhar:

Não tem Facebook ou prefere o anonimato?