A Arte de Perdoar

APRENDA A PERDOAR

A origem da palavra “perdão” vem do Latim perdonare, de per-, “total, completo”, e donare, “entregar, doar”. É de extrema valia aprendermos a perdoar verdadeiramente. Para mim, ao contrário do que muitos pensam, “perdoar” nao significa que você deve continuar tudo como era antes ou até se “esquecer” do passado. Não significa, por exemplo, que uma esposa traída deva voltar aos braços do marido após o ocorrido, ou que deveríamos “tomar um cafezinho” e confraternizar com alguém que nos prejudicou seriamente. Não é isso que estou sugerindo – isso é uma escolha de cada um, varia conforme a pessoa.

PERDOAR NÃO SIGNIFICA APAGAR DA MEMÓRIA POR COMPLETO

Pense em “perdão” como uma nova fase, um novo processamento de uma ideia, nunca pense em “voltar do jeitinho que era antes”, mas sim na sua evolução como pessoa. Acredito que, ao perdoar, as suas energias que estavam canalizadas em pensamentos negativos e vingativos, se desprendem e começam a fluir, criando espaço para surgirem coisas boas e produtivas. Essa “liberação energética” vai te fazer muito bem – nada que você for fazer com sentimento de raiva, culpa ou ódio vai te render bons frutos no futuro – talvez até traga algo imediato, mas não duradouro. O perdão é de procedência intrínseca, e certamente ajudará e muito na evolução da sua alma.

Por exemplo: eu, André, se descobrisse que fui traído – depois de um tempinho para me reerguer, é claro – eu perdoaria a pessoa, utilizaria essa experiência de vida como uma ferramenta de crescimento se valesse a pena, mas dificilmente voltaria a ter alguma relação mais séria com a mesma.

Depois de aprender a perdoar de verdade, você verá que tudo que almeja ficará mais fácil de ser alcançado. Até as pessoas a sua volta irão notar a diferença. Todos saem beneficiados, até mesmo se for o caso de um “perdoar a si mesmo“, já que existe uma relação de doação e troca de energia presentes no mundo. Você irá se desprender do passado, e terá forças de sobra para construir uma vida melhor.  Todas as suas escolhas são estimuladas e influenciadas pelos seus pensamentos, e exatamente por isso é importante estar sempre em paz consigo mesmo e procurar evitar guardar rancor. Afinal de contas, se analisarmos friamente, o perdão faz parte da natureza e da vida, da forma mais simples que podemos imaginar. Separei um trecho de um livro que menciona isso que acabei de dizer e o qual recomendo a leitura (me ajudou bastante): 

A vida nos perdoa, sempre

Retirado do livro “O Poder Do Subconsciente”, de Joseph Murphy:

O princípio da vida contém e abre-nos um tesouro infinito de perdão. Perdoa-nos quando cortamos o dedo. A inteligência subconsciente existente em nós age imediatamente para curar o ferimento. Novas células constroem pontes de um lado a outro do corte. Se contraírmos uma infecção provocada por determinado organismo nocivo, a vida nos perdoa e cerca e anquila o invasor. Se queimamos a mão, o princípio da vida reduz o edema e congestão e dá-nos nova pele, tecidos e células.

A vida não alimenta rancor contra ninguém. Está sempre nos perdoando. Traz de volta a saúde, a vitalidade, a harmonia e a paz, se cooperarmos com ela, isto é, se pensarmos em harmonia com a natureza. Lembranças negativas, rancorosas, amarguras e má vontade atravancam e impedem a circulação do princípio de vida em nós existente.

TEM QUE SER PRA VALER

Mas é de extrema importância o perdão ser verdadeiro, e não de origem egocêntrica. Gosto muito das ideias de Jiddu Krishnamurti, e em uma delas, ele cita o perdão “falso”, sem amor, algo comum na nossa sociedade atual:

…Você me insulta e eu fico ressentido, guardo na memória; então, por obrigação ou por arrependimento, eu digo: “Eu te perdoo.” Primeiro eu retenho, e depois eu rejeito. O que significa isso? Continuo sendo a figura central; sou eu que estou perdoando alguém. Enquanto houver a atitude de perdoar, eu sou a parte importante, e não o homem que supostamente me insultou… – J.Krishnamurti – The First and Last Freedom, p 233

Se mesmo após tudo o que eu escrevi acima, você ainda tem um certo receio em perdoar, saiba que além de tudo é comprovado cientificamente (clique aqui e confira) que perdoar faz muito bem para a saúde!

Experimente conceder o perdão a alguém. Faça o teste. Você verá que sua vida vai melhorar, até mesmo na questão de cura de alguma doença ou superação de algum problema. Um peso enorme irá se despreender dos seus ombros. Mas nunca se esqueça: perdoar não é sinônimo de esquecer, e sim de um novo ciclo de ideias. 

Siga @vidafaces no Instagram

Compartilhar:

Um comentário sobre “A Arte de Perdoar

Não tem Facebook ou prefere o anonimato?