O Eterno Aprender a Se Amar

Como já escrevi em um depoimento feito para quem tem, como eu, alguma limitação grave, mas perdeu a vontade de viver:

“Tá aí uma coisa que ninguém jamais fará por você, por menor que  seja a ação: a sua parte!”

Isso engloba também o amor próprio! Convenhamos: se nem você se ama, pra outro te amar vai ser bem mais difícil, concorda?

AMOR PRÓPRIO?

Primeiramente, vou contar um pouquinho da minha experiência nesse assunto. Confesso que lá atrás, quando descobri a doença e não a aceitava de jeito nenhum, eu não entendia muito bem o que “amor próprio” era pra valer. Acho que vocês entenderam: tinha uma “visão” sobre se amar, espalhava diversos conselhos universais como “o segredo é se amar mais” ou até aquela célebre frase de Jesus Cristo: “ame aos outros como si mesmo” sem saber de fato o real significado disso, sem analisar.

Era como se toda a vez que eu falasse e repetisse tais frases eu achasse uma escapatória para o meu sofrimento, talvez uma autoafirmação. A verdade é que eu não sabia muito bem do que eu estava falando, até que, depois de ler bastante sobre o assunto e passar pelas minhas “adversidades progressivas”, posso afirmar que aprendi a realmente me amar.

Nos dias de hoje, graças a Deus, me deparo com o espelho e abro um belo sorriso sincero, apesar dos pesares. Longe de ser perfeito, numa cadeira de rodas, aprendi a ter gratidão pela vida.

 A MUDANÇa

O que eu venho escrevendo aqui nos meus textos quase que repetidamente, não é da boca pra fora. Não são frases motivacionais que eu peguei de um livro qualquer e estou repassando-as a esmo, como no meu passado, ou em sites e afins que vejo por aí. Realmente elas funcionam na minha vida, e isso engloba o amor próprio e aumento da autoestima e quero te ajudar de alguma forma. A principal “ferramenta” que me fez crescer muito foi a aproximação com a espiritualidade (não importa que religião você escolha). Acredite, isso foi e é de extrema importância para mim.

Quer saber a minha opínião sobre a espiritualidade e a sua importância? Leia aqui.

Tenha em mente que nada, nadinha nessa vida é por acaso. Adversidades virão, mas sempre com o intuito de te fazer aprender. A mudança no meu modo de encarar a vida (me amar de verdade) surgiu quando coloquei na cabeça definitivamente que devemos ser gratos a tudo – momentos bons e ruins também (ambos são essenciais – um marca e o outro ensina). Eu sei que você deve estar pensando: “poxa, porquê comigo é tudo mais complicado?”

Leia o meu texto “Logo Comigo?” e veja a minha resposta sobre isso!

LEVA TEMPO

Se amar não é algo simples, de fácil alcance. Não é acordar amanhã, olhar no espelho e se admirar, depois de uma vida inteira se “maltratando”. Amor próprio é um estado de espírito, uma força maior, interior e muito profunda. É difícil, mas acredite, será o seu maior “investimento”. Ele é complicado de se obter pois não aceitamos com facilidade nossos erros e defeitos. Buscamos sempre a perfeição, mas cá entre nós: se todo mundo fosse perfeito, o mundo teria graça?

O verdadeiro amor próprio não precisa ser divulgado e mostrado em público. É um estado de espírito, uma força, uma felicidade: a segurança. – Brian Weiss

DEIXE DE LADO AS COMPARAÇÕES

Preste muita atenção no que vou escrever agora: você não é menos do que ninguém, ok? Você é o resultado de todas as experiências que já passou. Se comparar só gera ciúmes e amargura. Se comparar não é uma questão de vencer. Todo mundo tem problemas, não se engane, acontece que as pessoas, quando querem, mascaram as adversidades muito bem. A verdade é que não ganhamos nada com comparações, muito pelo contrário: limitar a nossa própria existência por meio de comparações é muitíssimo prejudicial para a saúde mental. Somos todos únicos, e por isso mesmo a gente é especial. Eu tenho características que você nunca terá, e vice-versa. Valorize-se, é de graça e é o princípio básico da felicidade.

Procure ser alguém que não precise ser perfeito, mas que quer ser cada dia que passa uma versão melhor do que foi ontem, e isso basta. A recompensa mínima é colocar a cabeça no travesseiro com a consciência tranquila consigo mesmo!

SER AMÁVEL

Em uma publicação futura, escreverei a sobre a diferença entre amor próprio e egoísmo. Mas já saliento: ela é brutal. Se amar é estar disposto a ser alguém capaz de dar e receber amor. Para finalizar, como já disse lá em cima: façamos a nossa parte! Antes de tudo nos amamos, e depois deixa para o outro decidir o que fazer. É isso!

Aprenda a conhecer-se, orgulhe-se do que você é, assuma-se como você é, e principalmente ame-se todos os dias da sua vida!


Compartilhar:

Não tem Facebook ou prefere o anonimato?